SEGURANÇA DE REDES NO CONTEXTO DA LEI GERAL DE PROTEÇÃO DE DADOS

 

 

 

Os desafios e oportunidades da adoção da nova lei de proteção de dados no Brasil e impactos de curto prazo para as empresas

O Brasil conta com quase 6,4 milhões de empresas, e segundo dados do SEBRAE, desse total, 99% são pequenas e médias empresas que passam também hoje por uma forte transformação
digital como meio de melhorar sua competitivdade. Um estudo do IDC no Brasil aponta contudo, que 70% destas ainda enfrentam desafios sobre o tema digitalização, aonde a segurança da informação tem sido um dos principais entraves para passos ainda mais acerelerados nesta jornada digital.
Neste sentido, e por força da Lei No 13.709, mais conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados, ou simplesmente LGPD, executivos e proprietários de empresas terão que usar este fato
como catalizador, para não mais relegar segurança como uma tarefa secundária, uma vez que até fevereiro de 2020 todas as empresas brasileiras terão de seguir as regras estabelecidas,
ou estarão sujeitas a multas estabelecidas no que se refere a proteção de dados.
Porém, a LGPD como marco regulatório, por outro lado, certamente pode ser uma oportunidade para nossas empresas avançarem em seus processos de digitalização e com isto melhorar sua produtividade, reduzir custos e maximizar o retorno de seus investimentos em tecnologia.
Naturalmente, os diferentes recursos de segurança de redes não estão em nenhum momento explícitos como exigências na nova lei, porém, sabemos que no atual cenário de insegurança, muitos são fundamentais para implantar e manter a longo prazo elementos que atestem o compromisso da sua empresa com a integridade de dados de terceiros e este é o objetivo desteresumo executivo especial preparadado pela SonicWall no Brasil.

LGPD

Faça o Download : LGPD RESUMO EXECUTIVO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *